sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Desculpas...

Gostaria de me descupar a todos aqueles que dedicam algum tempo para verificar as postagens deste,ainda sobrevivente, blog. (hehehe!!)
Devido à outras atividades não tenho escrito, porém em breve voltarei à postar!!
Grata

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Prolixidade na era Twitter


Sem dúvida essa é a era de sofrimento dos prolixos, não apenas dos twiteiros, que coitados, não podem expor pensamentos em muitas palavras, mas de vários exagerados em diversos aspectos. Creio que o Twitter é uma boa simbologia dessa necessidade de coisas prontas e urgentes, hoje a vida funciona em tudo de mais curto, mais expostos e muito obvio. Pensar hoje é proibido, ou melhor é perder tempo, enquanto você está pensando, você poderia está produzindo... (coitados dos filósofos!!)

Li uma notícia atualmente (na verdade considero-a atrasada!!), que dizia que as mulheres estavam mais preocupadas com o profissional do que em se relacionar. Como é típico das mulheres, acabam amadurecendo mais cedo. Como já dizia Darwin: os mais adaptáveis sobrevivem. Elas decidiram sobreviver usando a tática de ataque ao invés de defesa (até porque como é difícil se defender depois de derrubada o escudo...) Então elas atacam usando a estratégia do inimigo. Boa sacada!

Porém essa nova “tendência”, de evitar sofrimento, de adaptar-se ao “mundo twiteiro”: sucinto, repetitivo, formal e menos amoroso, torna-se cinza quando se racha o asfalto e deixa nascer uma flor e vê que existem verdadeiros ramalhetes no acostamento, só necessita fugir um pouco da estrada!


Autora: Laís Portela

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Dei-me tudo


Não me basta o pouco, por isso o tudo me resta...

Usufruo da intensidade, com ela vivo nas beiras da perda das estribeiras, calo minha lucidez, vôo na utopia, morro à mingua...Mas também amo o que não se toca, o inconstante e renovado...revivo a cada dia!

Quero vivência, audiência, choro, velas... tudo que exalte, que prove, que mude...Quero ver vida, quero que mostre à minha pra que veio...veio de mala? nada trazia? queres compartilhar? Se ousas cruzar meu caminho, dei-me tudo!! Leve tudo!! Só não me deixe suas migalhas, com elas nada poderei viver!!

Autora: Laís Portela

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Quem tem medo de música clássica?

Quando o assunto é música clássica uns torcem o bico, outros dizem que não tem ouvido pra isso... Porém é preciso conhecer!

Também achava que eram pra pessoas cultas, porém a emoção que sinto é isenta de qualquer conhecimento.

Em umas das buscas por este tipo de música, me deparei com esse testamento, que aborda o drama do imortal Beethoven, mostrando-o tão frágil.

O Testamento de Heiligenstadt

"Vocês, Homens que me têm como hostil, obstinado e insociável, como são injustos! Não conhecem as causas secretas que me fazem agir deste modo. (...) Fui cruelmente repelido pela dolorosa experiência de ter um ouvido defeituoso! Não me era possível dizer às pessoas: - Falem mais alto, gritem, porque estou surdo! Como poderia divulgar a todos a falta de um sentido que eu deveria possuir num grau ainda mais elevado do que qualquer outra pessoa, um sentido que outrora fora em mim mais sensível do que em qualquer dos meus colegas? Certamente não poderia fazer isso.

Perdoem-me, portanto, se me vêem retraído, quando na verdade teria gosto de estar entre vocês. O meu infortúnio mortifica-me duplamente, porque além de tudo me torna alvo da incompreensão. (...) Mas que humilhação, quando ao meu lado as pessoas ouviam o eco distante de uma flauta, sem que eu pudesse distingui-lo... Ou quando chamavam a minha atenção para o canto de um pastor e eu incapaz de ouvi-lo! Estas circunstâncias levaram-me à beira do desespero e pensei, mais de uma vez, em pôr fim aos meus dias. Somente a Música me deteve! Ah, parecia-me impossível deixar o mundo antes de ter dado tudo o que ainda germinava em mim. Por isso, continuei esta vida miserável - verdadeiramente miserável - e suportei este corpo irritável que muda da melhor para a pior disposição com uma facilidade incrível. (...)

Oh, Deus! Tu contemplas do alto a minha miséria e sabes que ela está acompanhada de um amor pelas criaturas humanas e de disposição para as boas obras. Oh, Homens! Se algum dia lerem isto, pensem quão injustos foram comigo. Deixem que o que sofre tenha o seu consolo, encontrando alguém que, como ele, apesar das deficiências da natureza, fez tudo o que as suas faculdades lhe permitiram realizar para pertencer ao mundo dos artistas de valor e dos homens de bem. (...) Ao mesmo tempo, nomeio vocês dois herdeiros dos meus bens (que bem poucos são). (...) Anseio ir ao encontro da morte com alegria. (...) Vem, pois, quando quiser, oh, Morte! Firme estarei para recebê-Ia. Adeus, e não se esqueçam completamente de mim, quando já morto.


Ludwig van Beethoven

Heiligenstadt, 6 de outubro de 1802"

Mozart também tinha fragilidades, adorava festas, bebidas, viveu dramas, morreu cedo...E no entanto abriu caminho para genialidade.

Você, humano como eles, pode sim ouvir e conhecer mais sobre música clássica.

Portanto, mais uma vez , deixo aqui uma contribuição de boa música, que considero a melhor obra vocal de Mozart...

A rainha da noite:





Autora: Laís Portela

terça-feira, 5 de abril de 2011

Criticando os macacos...

Como ultimamente este blog relata a crítica ao humano, aqui vai um vídeo sobre estes macacos...



Autor: Ernest Cline

sexta-feira, 18 de março de 2011

Trágico e Real


"Se a gente consegue manter a sanidade e cumprir as normas e rotinas em que não acredita, é porque a lucidez faz a gente ver que a vida é tão banal, que não pode ser vivido como uma tragédia."

Trecho do filme argentino: "Lugares Comuns"

E parto pra banalização, porque discordo da desvalorização das coisas, das pessoas e principalmente da vida, ocorrida pela camuflagem de si mesmo.

Pessoas que se privam de viver buscando aceitação, criam essa lucidez "insana" de paradigmas que limitam seu tempo, seus espaços e suas relações. Tornam-se falsos, superficiais, fingidos, arteiros para que sejam dignos de aceitação.

Mas porque passar por cima de sua personalidade pra ser aceito por alguém?
Creio que ser aceito por alguém que entende você e lhe aceita tal qual for sua personalidade é mais válido do que viver num eterno baile de máscaras!


Autora: Laís Portela

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Não tem preço...



Dormir no chão... Não ter comprado outro colchão

Andar 10km na areia...Não ter comprado um quadriciclo
Dormir cheirando a fumaça...Não ter comprado comida pronta
Não ter energia e água encanada... Não ter ficado numa pousada
Ter a vista mais linda de toda a minha vida... Não ter usado Cartão de Crédito

Descobri o paraíso... Não tem preço
Existem coisas que o dinheiro não compra...
Para todas as outras... tente não usá-lo!
;D

video

Autora: Laís Portela

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Na briga pelo Poleiro


Só lhes faltam a longa crista e o grande rabo para tomarem o poleiro, mas estão quase lá. As mulheres já vêm buscando essa "elevação", contrariando o objetivo dos direitos iguais. Elas estão conseguindo elevar-se de verdade, mas apenas no mais alto dos poleiros, porque aos olhos dos "galináceos", sua reputação será enterrada no solo mais infértil de futuros relacionamentos.

Essa luta por ter os mesmos direitos foge totalmente do foco, que era conquistar o que era banido às mulheres e que lhe trariam benefícios. Porém a aposta na vulgaridade e no "oba-oba", estatisticamente, trouxe muita negatividade, principalmente pela grande mudança dos relacionamentos que agora se baseiam na falta de compromisso.

Isso acontece porque essas "revolucionárias" não se preocupam com a representação das mulheres e dando maior liberdade aos "galináceos" de descobri-la numa única vez, sem saborear a essência, sem respeitar o meio-tempo...Provoca nos homens uma menor entrega emocional, já que essas mulheres não assumem um posicionamento de seriedade e de comprometimento. Daí, como não é necessário lutar para tê-las, fica tudo mais fácil pra obtê-las da forma e no tempo que quiserem.

Visto isso, aconselho aquelas que se dedicam a descobrir os segredos dos mosteiros ou das maçonarias, a se juntarem a essas novas "revolucionárias", pois a luta é menos árdua e logo serão superiores aos homens... Pelo menos no poleiro.



AUTORA: LAÍS PORTELA (pra não deixar dúvidas... como tem acontecido! )

;)

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Morar Sozinho...





*vira
Só desconsiderem os erros de português!!!
:D


AUTORA: LAÍS PORTELA (texto, montagem, ...)

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

O Caminho


Não obrigue-o a calçar os pés!

Diga-o sobre o quão dificil será a caminhada: a dureza e a quentura do chão, os espinhos da estrada, as lamas do mangue, as lascas de pedra...
Alerte-o do que enfrenta-rá se não vestir os seus pés, mas não obrigue-o a calça-los!

Conte-o, também, do prazer do trajeto: pisar na areia, nas pedras frias de rolo, na grama, na água...
Fale dos perigos e das doçuras do caminho, mas não o deixe ir sem orientá-lo!

Não obrigue-o a calçar os pés, apenas mostre o caminho!




AUTORA: LAÍS PORTELA


 
Contador de visitas