segunda-feira, 25 de julho de 2011

Prolixidade na era Twitter


Sem dúvida essa é a era de sofrimento dos prolixos, não apenas dos twiteiros, que coitados, não podem expor pensamentos em muitas palavras, mas de vários exagerados em diversos aspectos. Creio que o Twitter é uma boa simbologia dessa necessidade de coisas prontas e urgentes, hoje a vida funciona em tudo de mais curto, mais expostos e muito obvio. Pensar hoje é proibido, ou melhor é perder tempo, enquanto você está pensando, você poderia está produzindo... (coitados dos filósofos!!)

Li uma notícia atualmente (na verdade considero-a atrasada!!), que dizia que as mulheres estavam mais preocupadas com o profissional do que em se relacionar. Como é típico das mulheres, acabam amadurecendo mais cedo. Como já dizia Darwin: os mais adaptáveis sobrevivem. Elas decidiram sobreviver usando a tática de ataque ao invés de defesa (até porque como é difícil se defender depois de derrubada o escudo...) Então elas atacam usando a estratégia do inimigo. Boa sacada!

Porém essa nova “tendência”, de evitar sofrimento, de adaptar-se ao “mundo twiteiro”: sucinto, repetitivo, formal e menos amoroso, torna-se cinza quando se racha o asfalto e deixa nascer uma flor e vê que existem verdadeiros ramalhetes no acostamento, só necessita fugir um pouco da estrada!


Autora: Laís Portela

4 comentários:

Nerter Samora disse...

Boa reflexão. Concordo plenamente com a sentença imposta ao homem pós-moderno: a de não pensar. Antes fosse uma imposição, hoje é um alívio para tantos que não têm nada a dizer. Já que o espaço de 140 caracteres é mais do que suficiente para que não tem muito o que dizer.

Laís Portela disse...

Boa...
Foi mais sucinto do que todo o meu texto... hehe
e falou muitíssimo!
Vlw pl comentario!
^^

Fred disse...

aeee
adorei a analogia com a teoria da evolução!
a verdade é que pensamos hoje diferente do que pensávamos há 100 anos atrás, na verdade nem tão longe, há vinte anos atrás. a internet é fantástica, mas trouxe consigo o fantasma do pensamento fragmentado e de textos inconsistentes!
PIERRY LEVY falou muito bem disso, antes mesmo que essa coisa toda começasse a acontecer!
Parabéns Laís, mais um tema importante e atual!

Aníssima Duarte* disse...

Gosto da profundidade do ser prolixo...Mas o superficial, o ligeiro tem tido mais valor.
#éproibidopensar

Maravilhosa reflexão e temática.
bJU.

Postar um comentário

comenta aê!

 
Contador de visitas