domingo, 14 de novembro de 2010

Cabeça Desfeita

Retira-te do meu palco.

Aqui finda teu espetáculo

Que há muito foi túrbido,

Mas enfim torna-se lúcido


E partirás como veio,

Na fragilidade e no anseio

Na pobreza do meu ser,

Que esquecera de viver.


Que perdido encontrara,

Indagando a madrugada,

- Quão fiz de errado?

Foi que ouvira teu chamado


Adentrei em teu abraço,

Na falsidade do teu amparo,

E dizia-me que tinha a cura,

Pro padecimento da amargura.


Fui mergulhando no abismo,

E tu, tomando meu protagonismo,

Por fim, roubaste todo o espetáculo.

Está acabado nosso vínculo!


Eu reescreverei meu roteiro,

E nos teus braços traiçoeiros,

Não mais repousarei Dragão,

Agora faz-se minha, a atuação.


(Laís Portela)

2 comentários:

Larissa disse...

Dragão não disse q tinha a cura... ele só atuava muito bem. Não é à toa q ele foi protagonista por muito tempo...

Laís Portela disse...

Mas eh assim msm... a gnt ouve o q qr ouvir e acredita no que parece mais claro no momento... acreditava que ele tinha a cura... e dei-lhe boca, braços e atenção. Daí deu-se...!!
^^

Postar um comentário

comenta aê!

 
Contador de visitas